sábado, 29 de novembro de 2008

Paradoxo

Construímos um telefone,
Daqueles de outrora, infantes,
Com fio e dois copos opostos.
Falamos por ele
Porque por ele vibram as palavras.
Paradoxo,
Afastados entendemo-nos melhor,
(Sem o fio estirado nada chega ao ouvido)
Encurtamo-lo.

A vibração torna-se forte,
O som rasteja intrépido,
As palavras gritam.
Cortamos mais,
Ouço ecos,
Confundo os sons porque me soa a mais,
Estás perto.
Cortamos o fio ao limite…
Beijo.

Foto: "AMOR"......para ti!!! - Glover Barreto (www.olhares.aeiou.pt)

3 comentários:

Poeta Carlos Gargallo disse...

Hola, he traducido tu poema, me ha gustado mucho, y gracias por tu seguiento y palabras en mi blog, un abrazo hermano poeta.

M@R disse...

hola,,,
gracias por la visita,,,
tambien traduje y es bueno como escribes,
recorde anecdotas de mi niñez,,,

abrazos,,,

DaiSantos disse...

lindo.. a vibração da aproximação na distancia... continua o bom trabalho, encurtando laços... o outro lado do mundo é já ali com vc...