terça-feira, 18 de agosto de 2009

África, um olhar ao relantim


Em África o tempo corre
Ao sabor do relantim.
O malembo malembo atordoa os sentidos
E baralha a noção de fim.


Em África o céu queima
O chão é fogo
A chuva, bênção

E o frio, mausoléu.


Em África a saudade sufraga
Em sentido ascendente, presente,
Em cada pedaço de chão...

Em cada pedaço de céu.

Foto: Céus, Cores em tons de Cinza

Sem comentários: